weiglas blog

Desafios efêmeros do dia a dia

Assim como nos jogos de vídeo game, eu acho que existem uns desafios no nosso dia a dia que não interferem no nosso objetivo final, mas que estão ali só pra dar uma atiçada no percurso.

Hoje eu passei por um desses.

Na volta da padaria, depois de comprar duas mentiras e dez pãezinhos de queijo, eu passei em frente a uma quadra onde tinha uns meninos jogando bola. Como a quadra está em reforma, suas grades foram removidas. Então se os jogadores vacilarem, a bola vai pra fora da quadra. E ela foi pra fora da quadra justamente no momento em que eu estava passando. E mais, ela estava vindo em minha direção. Não tinha como escapar. Pelos valores morais da sociedade eu não poderia deixar essa bola passar por mim como se nada estivesse acontecendo.

A bola quicou uma vez no chão em minha direção.

Me lembrei das aulinhas de futsal que frequentei quando criança. Eu era gordinho e tinha vergonha de ficar sem camisa, então eu sempre pedia ao treinador pra ficar no time com camisa. E ainda assim eu escolhia sempre ficar no gol pois nunca tive habilidade com bola no pé. Devo ter frequentado essas aulas uns 2 meses no máximo.

A bola quicou a segunda vez no chão.

Na virada de ano eu anotei umas coisas bestas que eu queria fazer neste ano. Sim, uma lista de promessas de fim de ano, mas com coisas simples e alcançáveis. Um dos itens era aprender embaixadinha. Bom, já estamos em agosto e eu ainda não sei embaixadinha... Isso com certeza me ajudaria nesse momento.

Ok, meu tempo acabou e eu tinha que fazer o que tinha em mãos (ou melhor, pés) pra conseguir passar por esse obstáculo. Toquei a bola pra dentro da quadra, que para minha surpresa realmente foi pra dentro da quadra e ainda direto para o pé de uns dos meninos que estava jogando... Ufa!

Ouvi um sonoro "carai, tio, aí sim hein!" de agradecimento. Fiz joinha com a mão e segui meu caminho.

Meus pontos de vida não cresceram e nem passei de fase. Mas algo nesse episódio me fez ter um pouquinho mais de autoconfiança, o que estamos sempre precisando nesse imenso jogo que é a vida.

Thoughts? Leave a comment

Comments
  1. Rodrigo S. — Aug 8, 2021:

    Consegui sentir o alívio por você, hahaha. Fosse comigo, eu teria dado um chute no ar, a bola teria passado por mim e logo em seguida surgiria uma bandinha com cornetas e uma faixa "Parabéns, o maior perna de pau do mundo é você"! Moral nenhuma. :(